7 famosos que merecem nossa admiração

Há um grande número de ricos e famosos que não ficam por aí se exibindo ou exibindo suas fortunas em gastos extravagantes pra todo mundo ver. São pessoas que já entenderam que, sim, a parte material tem lá sua importância, mas o mundo de hoje exige mais. Exige atenção, solidariedade e respeito ao ser humano. São famosos que sabem que o dinheiro vem e vai, mas o caráter e a generosidade ficam.

Simplesmente a princesa da Suécia

O fato de ser integrante da Família Real de um país de primeiro mundo não impede Madalena de levar um saquinho para recolher as fezes de seu cão quando vão passear.

O ex-presidente mais pobre do mundo

José Mujica se tornou conhecido no mundo inteiro por seus exemplos de desprendimento e simplicidade. Como ex-presidente do Uruguai, seria de se esperar que pompa e circunstância no tratamento. Mas, não. Ele prefere ser chamado simplesmente de ’Pepe’. Do salário que recebia como chefe da nação, 263 mil pesos (US$ 9,2 mil) por mês, ficava com apenas 26,3 mil pesos (US$ 920). O resto ia para a caridade.

Vive com a esposa num sítio próximo de Montevidéu e faz questão de ele mesmo molhar as plantas todos os dias. Sua maior e mais famosa aquisição foi um Fusca 1987. Não tem conta em banco nem dívidas.

Senhor Mujica espera atendimento no serviço público de saúde.

O prefeito de Reykjavik (Islândia)

Jón Gnarr foi prefeito de Reykjavik, capital da Islândia. Não frequentou a universidade. Seu currículo inclui ter sido comediante, ator e taxista. Como comediante, fundou seu próprio partido, batizado de ’O melhor partido’, no qual havia diversos artistas como pintores, músicos e artistas, todos sem experiência na política. E ele conseguiu: em 2010, se elegeu prefeito com 34,7% dos votos. Na foto da direita, ele aparece vestido de drag queen, num desfile do orgulho gay.

O ex-prefeito de Nova York

Michael Bloomberg é um homem interessante. Mesmo se deixarmos de lado o fato de ele ser a 13ª pessoa mais rica do mundo. Ex-prefeito de Nova York, andava de metrô como qualquer morador. Na foto, Bloomberg em seu escritório. Dá pra notar computadores, papéis, desordem e…a famosa manteiga de amendoim, que os americanos amam, perto do teclado.

O ’milionario-hippie’ Richard Branson

Sir Richard Branson é o fundador da Virgin linhas aéreas. Em 10 anos, transformou uma pequena loja de música num negócio de muitas faces presente em todos os cantos do mundo. Branson é um homem midiático, fora dos padrões dos executivos comuns, o que lhe rendeu o apelido de ’milionário hippie’. Uma de suas últimas ideias foi aparecer num voo da Air Ásia vestido de aeromoça, não para chamar a atenção. Ele trabalhou durante todo o percurso Perth-Kuala Lumpur servindo os passageiros.

A ’lenda do Google’

O russo Sergey Brin é uma lenda do mundo da tecnologia. Sim, ele é simplesmente um dos fundadores do todo poderoso Google. Mas, mesmo milionário, ainda adota um estilo de vida simples. Vive num apartamento de três quartos e não vai trabalhar de Land Rover, mas num Toyota Prius, de motor híbrido. Brin não dá as costas para suas raízes de vai com alguma frequência ao «Club de chá Kathy» em São Francisco, na Califórnia, para degustar um bom borsch (sopa tradicional do leste europeu), pelmeni (espécie de capeleti da culinária russa) e blini (panquequinhas russas).

O milionário sem milhões

Charles F. Feeney é o fundador de uma famosa rede de free shops, a Duty Free Shoppers. Durante os últimos 30 anos, viajou pelo mundo inteiro, numa operação secreta para se desfazer de sua fortuna de US$ 7,5 bilhões. Seu fundo de caridade, o ’The Atlantic Philanthropies’, já investiu U$ 6,2 bilhões em educação, ciência, cuidados com a saúde, proteção à saúde e construção de asilos para idosos. Até 2020, Feeney pretende acabar de gastar sua fortuna ajudando os necessitados.

COMPARTILHAR
Luis Junior

Sou aquele garoto que amava os Beattles e os Rolling Stones.